18 novembro 2015

Woman’s Entrepreneurship Day (WED), Associação Comerciaal, 19h-Nov, 9h-13h

Vamos conhecer o trabalho de algumas mulheres empreendedoras notáveis no dia da Mulher Empreendedora, 19-Nov, das 9h-13h, 
no Salão D. Maria II da Associação Comercial Portuguesa, na rua Portas de Santo Antão 
Nas nações em desenvolvimento, a capacitação das mulheres para serem empreendedoras ajuda a combater a pobreza, das mulheres, das suas famílias e das suas comunidades. E, no entanto, o Gender GEDI (Global Entrepreneurship and Development Index)descobriu que em quase três quartos dos 30 países pesquisados​​, as condições para o empreendedorismo feminino e crescimento do negócio são desfavoráveis​​. 
Como tal, o  empreendedorismo no feminino está a ser, mais do que nunca, uma das prioridades da Semana Global do Empreendedorismo. O WED concentra a atenção da comunidade empresarial no desenvolvimento feminino e capacitação para ajudar a fortalecer o ecossistema como um todo. 
WED é um tema global para 19 de novembro para todo o mundo. A GEW EUA irá liderar este movimento global e organiza o Summit WED das Nações Unidas em Nova York. 
Isabel Canha  Coordenadora do WED Portugal 2015 e Directora do Portal Executiva
Luís Barata  Presidente da GEW Portugal - SEDES
Santiago Salazar Membro da Direcção da APBA
Ana Paula Rafael Empresária e Embaixadora do WED Portugal 2015
Gonçalo Moreira Rato (Vogal da GEW Portugal)
Emília Vieira    Casa de Investimentos
Maria Cândida Rocha e Silva  Banco Carregosa
Moderadora: Heromina Teixeira (Vogal da GEW Portugal)
Helena Vieira   Blue Bio Alliance
Claudia Ranito Medbone
Cristina Fonseca Talkdesk
Pedro Janela WY Group
Moderadora: Inês Freire de Andrade (BET - Bring Entrepreneurs Together)







29 outubro 2015

Conferência ´CRISE E GÉNERO´, 29-Outubro,10h00 – 17h30, FCSH-UNL, Auditório 1, Av. Berna, Lisboa

Conferência Internacional ´CRISE E GÉNERO´
Lisboa, 29 de Outubro de 2015 | 10h00 – 17h30 | FCSH-UNL, Auditório 1, Av. de Berna
10h00 Abertura
Manuel Lisboa (Universidade Nova de Lisboa)
Christine Auer (Fundação Friedrich Ebert, Lisboa)
10h10 A crise numa perspectiva feminista: Quem ganha e quem perde com as divergências na UE ?
Brigitte Young (Universidade de Münster)
10h45 Debate
Moderador: Manuel Lisboa (Universidade Nova de Lisboa)
11h15 Who cares? Crise, redução do estado social e as consequências para mulheres e homens
Anália Torres (Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas - ISCSP, Universidade de Lisboa)
Mechthild Rawert ( Deutscher Bundestag, Berlim)
12h15 Debate
Moderadora: Sara Falcão Casaca (Instituto Superior de Economia e Gestão - ISEG, Lisboa)
13h00 Pausa
14h30 Crise e violência na relação entre géneros I
Helena Ewalds (Instituto Nacional de Saúde e Bem Estar, Helsinki)
Davina James-Hanman (Against Violence and Abuse - AVA, Lisboa)
15h15 Debate
Moderadora: Dalila Cerejo (Universidade de Lisboa)
15h45 Pausa
16h00 Crise e violência na relação entre géneros II
Elisabete Brasil (União de Mulheres Alternativa e Resposta - UMAR, Lisboa)
Renate Klein ( European Network on Gender and Violence - ENGV, Universidade do Maine)
16h45 Debate
Moderador: Manuel Lisboa (Universidade Nova de Lisboa)
17h15 Encerramento
A entrada é gratuita. Haverá tradução simultânea (inglês - alemão - português)
Inscrições : Fundação Friedrich Ebert, Tel. 21 357 33 75, e-mail:info@feslisbon.org

05 outubro 2015


S
oroptimistas do Clube Estoril Cascais enviaram material escolar com o nosso membro Assunção Fernandes Tavares Maria Andebol, que está a criar um programa de mini-andebol em Cabo Verde Mini Andebol CV, com a Federação Caboverdiana de Andebol.co-financiado pela IOM International Organization for Migration .  

Vejam as lindas fotos da distribuição do material escolar doado pelo Clube Estoril Cascais em Cabo Verde  que nos foram enviadas com o relatório Assunção com os  agradecimentos de todos.    As mochilas coloridas, os cadernos para as crianças do mini-andebol e alguns manuais e dicionários  para os professores! 

A experiência de desporto de equipa é um factor muito positivo no desenvolvimento infantil, por isso ficamos muito satisfeitas em poder ajudar estas crianças a "estudar bem e estudar  melhor!" 

O artigo do jornal A Bola diz que foram doados pela Soroptimist International Europe, pelo menos acertaram duas em três palavras !  http://www.abola.pt/africa/ver.aspx?id=572312
Federação de andebol oferece kits escolares a crianças desfavorecidas 

CABO VERDE 21-09-2015 
A Federação Cabo-verdiana de Andebol (FCA) ofereceu, no âmbito do projeto `Mini Andebol´, vários kits escolares a instituições que albergam crianças desfavorecidas.
Os kits foram oferecidos pela Associação Soropotmist Internacional d`Europe, principal parceira da FCA na implementação do projeto `Mini Andebol´.
Entre as instituições contempladas estão o Instituto da Criança e do Adolescente (ICA), o Centro de Emergência Infantil e o Projeto `Nós Casa´.

03 outubro 2015

SIE- Soroptimistas Investem na Educação 2015-17

Ao tomar posse como Presidente da Soroptimist International Europe 2013-15, Maria Elisabetta de Franciscis, professora de Direito Comparado, anunciou o tema do seu     programa "Soroptimistas investem  na educação".

EDUCAÇÃO e educar PARA LIDERAR

  • Contribuir para a erradicação do analfabetismo com base no género.
EMPODERAMENTO ECONÓMICO  DAS MULHERES

  • Educar as mulheres e meninas para serem líderes em suas comunidades e profissões. Incentivá-las a empreender estudos e carreiras nos domínios da ciência e tecnologias. Desenvolver projectos de mentoria e promover redes profissionais.


DERROTAR A VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES E MENINAS

  • Promover a educação como um meio e ferramenta para eliminar e prevenir a violência.

As líderes da SIE e os seus 34.000 membros vão desenvolver e implementar projectos de educação a nível local, nacional e internacional.

"Vamos ter que ajustar a missão Soroptimista e organização para melhor atender as necessidades atuais e futuras de mulheres e meninas e apoiá-los na superação de mudanças sociais", disse o presidente Elisabetta.

Fonte:  http://www.soroptimisteurope.org/introduction 

Greenfest 2015 - Feira das ONG, Estoril 8-11 Outubro

Estoril, de 8 a 11 de Outubro de 2015


Soroptimistas podem pedir bilhetes gratuitos na bilheteira 
Este ano, o GREENFEST - o maior evento de sustentabilidade de Portugal - apresenta a primeira Feira das ONG (organizações não governamentais) do País.  Durante o GREENFEST, de 8 a 11 de outubro, a feira vai mostrar a ação e os objetivos de mais de 150 ONG nacionais e internacionais (de 5 países participantes) previamente selecionadas.

A 8.º edição do GRENFEST tem como “fio condutor” da comunicação e dos conteúdos deste ano o tema da “Cidadania Ativa” e a ideia de que cada um de nós tem o “Poder” de contribuir para fazer a diferença.O
Greenfest celebra anualmente o que de melhor se faz ao nível da sustentabilidade nas vertentes ambiental, social e económica em Portugal. Tem assumido nesta matéria uma visibilidade crescente nos últimos anos e é hoje o maior evento de sustentabilidade do país.

Na 8.ª edição do Greenfest, a realizar este ano no Centro de Congressos do Estoril , o tema principal será a Cidadania Ativa, compreendendo, entre outras questões, os desafios enfrentados pelas organizações da Sociedade Civil. Esta edição incluirá uma Feira das ONG, promovida pela Fundação Calouste Gulbenkian em parceria com a organização do Greenfest, e apoiada pelos EEA Grants.

Esta será a primeira feira deste género de âmbito nacional, e uma importante oportunidade para a divulgação das atividades e projetos das ONG junto de um vasto público. Aqui poderão ser captados novos voluntários e colaboradores, estabelecidos contactos com potenciais financiadores e promovidos os serviços e produtos da ONG.
Em paralelo com a Feira, haverá, no Centro de Congressos do Estoril, um conjunto diversificado de iniciativas de reflexão e debate sobre temas relevantes para as organizações da Sociedade Civil, bem como a possibilidade de apresentação de projetos e de partilha de experiências entre os participantes e com o público.


 Fontes: Gulbenkian  e http://www.greenfest.pt/

Encontro de Estudos de Género, CIEG / ISCSP, Lisboa, 25-27 Maio 2016

In English below 
O CIEG tem o prazer de anunciar que se encontra aberto o call for papers para o Congresso Internacional de Estudos de Género sob o tema “Estudos de Género em debate: Percursos, desafios e olhares interdisciplinares”, a realizar nos dias 25, 26 e 27 de maio de 2016 no ISCSP-ULisboa.

Toda a informação pode ser encontrada em anexo e nesta ligação ao nosso site:

Agradecemos a vossa atenção e solicitamos a melhor divulgação desta iniciativa.

Estudos de Género em debate: percursos, desafios e olhares interdisciplinares
CONGRESSO INTERNACIONAL
Instituto Superior de Ciências Sociais de Lisboa (ISCSP)
Universidade de Lisboa, 25-27 DE MAIO DE 2016

Os estudos de género, sobre as mulheres e os feminismos produziram efeitos de transformação importantes na vida quotidiana e no conhecimento sobre a realidade. No entanto, e embora os temas da igualdade de direitos estejam cada vez mais na agenda pública, há avanços e recuos e a persistência das desigualdades de género desafia-nos a procurar análises mais sólidas.
O Centro Interdisciplinar de Estudos de Género (CIEG) quer contribuir para o aprofundamento analítico destas temáticas, e convida-vos a participar no Congresso Internacional de Estudos de Género a 25, 26 e 27 de maio de 2016 com o seguinte tema: “Estudos de Género em debate: Percursos, desafios e olhares interdisciplinares”.
Contamos convosco para procurar respostas para questões como: que efeito têm tido as diferentes políticas de igualdade de género na efetiva concretização de direitos? Como garantir a aplicação de leis de forma a prevenir efeitos perversos, como acontece no caso da violência de género? Poderes, relações de poder, dominação masculina e género: que conexões? Há fronteiras, e quais, entre investigação e ativismo? Como compatibilizar o sujeito coletivo de direitos “mulheres” com a diversidade étnica, de classe, geracional, de orientação sexual e global? Como se faz género na vida quotidiana e nas diferentes instituições: entre a reprodução e a agência? Heteronormatividade, corpo e sexualidade: questão central dos estudos de género? Homens e masculinidades: novas configurações? Que efeitos de backlash tem tido a crise, o aumento das desigualdades e o pensamento neoliberal na vida de mulheres e homens do presente?
Pretendemos também trazer a debate os contributos de investigadoras e investigadores de diferentes partes do mundo para nos ajudarem a refletir sobre os percursos dos estudos de género, sobre as mulheres e os feminismos nos seus contextos geográficos, políticos e socioculturais.
Na comemoração do seu 4º aniversário o CIEG tem muito gosto em juntar-se às comemorações dos 110 anos do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP) da Universidade de Lisboa (ULisboa), na realização do seu 1º Congresso Internacional.

As propostas de comunicação devem indicar claramente em que linha de investigação (I, II ou III) se enquadram. As grandes linhas de investigação a considerar são as seguintes:

I
Género, feminismos e estudos sobre as mulheres

História das ideias e das teorias;
Teorias contemporâneas e inovações;
Metodologias extensivas, intensivas e perspetiva comparativa internacional

II
Políticas, instituições e cidadania

Políticas públicas;
Igualdade, Direito e direitos;
Democracia e instituições políticas.

III
Género e construção das sociedades contemporâneas
  
Família, sexualidade e relações íntimas;
Representações, identidade e cultura;
Corpo, saúde e violência de género;
Classes sociais, desigualdades e valores;
Trabalho, economia e ambiente;
Migrações, globalização e desenvolvimento;
Masculinidades;
Estudos culturais e artísticos de género;
Estudos LGBT.

As propostas de comunicação, com o máximo de 300 palavras, deverão ser enviadas até ao dia 30 de novembro de 2015para o email congressocieg2016@iscsp.ulisboa.pt.
logo cieg brancoPrazo para envio de resposta por parte da organização: dia 31 de janeiro de 2016.
Os valores da inscrição, nas diferentes modalidades, serão divulgados em breve.



CIEG is pleased to announce that the call for papers for the International Congress of Gender Studies, under the theme “Gender Studies in Debate: Pathways, challenges and interdisciplinary perspectives” is now available. This Congress will take place on 25, 26 and 27th may 2016, in ISCSP-ULisboa, Lisbon.

All the info can be found attached and on this link to our website:

With our best regards,

Gender Studies in Debate: Pathways, challenges and interdisciplinary perspectives
INTERNATIONAL CONGRESS
School of Social and Political Sciences (ISCSP)
University of Lisbon, 25-27th may 2016

Gender and women studies and feminisms have produced important transformations in our daily life and in our understanding of reality. While the topic of equality of rights is increasingly on the public agenda, there have been advances and retreats and persisting gender inequalities continue to challenge us to look for more solid analyses.
The Interdisciplinary Centre on Gender Studies (CIEG) wishes to contribute to the analytical deepening of these issues and invites you to participate in the International Congress of Gender Studies, on 25, 26 and 27th may 2016 under the following theme “Gender Studies in Debate: Pathways, challenges and interdisciplinary perspectives”
We count on you to address questions such as: what impact have had different gender equality policies on the effective implementation of rights? How to ensure the implementation of laws and prevent perverse effects? Power, relations of power, masculine domination and gender: which connections? Are there frontiers between activism and research, and if yes, how/where to draw them? How to balance the collective subject ‘women’ with ethnic, class, generational, sexual orientation, and global diversity? How is gender performed in daily life and in different institutions: between reproduction and agency? Heteronormativity, bodies, and sexuality: central issue for gender studies? Men and masculinities: new configurations? What backlash effects have the crisis, the increased inequalities and the neoliberal thinking had on the current life of men and women?
We also wish to bring to the debate the contributions of researchers from different parts of the world to help us reflect upon the pathways followed by gender and women studies and feminisms in their geographic, political and sociocultural contexts.
Marking its 4th anniversary, CIEG is very pleased to join the celebrations of the 110 years of Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP) of University of Lisbon (ULisboa), by organizing its 1st International Congress.

The abstracts, no longer than 300 words, should clearly indicate in which research line (I, II or III) the paper should be included. The research lines to consider are the following:
I
Gender, feminisms and women studies
History of ideas and theories;
Contemporary theories and innovations;
Extensive and intensive methodologies and international comparative perspective.

II
Policies, institutions and citizenship
Public policies;
Equality, Law and righs;
Democracy and political institutions.

III
Gender and the construction of contemporary societies
Family, sexuality and intimate relationships;
Representations, identity and culture;
Body, health and gender violence;
Social class, inequality and values;
Work, economy and environment;
Migrations, globalization and development;
Masculinities;
Cultural and artistic gender studies;
LGBT studies. 

Abstracts should be sent until 30 november 2015 to the following email address: congressocieg2016@iscsp.ulisboa.pt.
Deadline for notice of acceptance/rejection: 31 january 2016.
The registration fees, in its different modalities, will be available soon.
_______________________________________
CIEG – Centro Interdisciplinar de Estudos de Género
Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP-ULisboa)
Rua Almerindo Lessa - 1300-663, Lisboa
Gabinete 58 | Piso 0 
213 600 430 
cieg@iscsp.utl.pt 


iscsp   ULISBOA_HORIZONTAL_RGB

23 setembro 2015

EU com novo quadro para a Igualdade de Género

Resultado de imagem para imagem cooperation euNovo quadro para a Igualdade de Género e Empoderamento das Mulheres: transformando a vida de meninas e mulheres através das relações externas da UE (2016-2020) adoptado (22/09/2015)Bruxelas, 22 de Setembro de 2015A Comissão Europeia e o Serviço Europeu de Acção Externa adoptaram no dia 21 de Setembro de 2015 o novo quadro para as actividades da UE em matéria de igualdade de género e empoderamento das mulheres nas relações externas da União Europeia.

Este novo quadro, para o período 2016-2020, foi aprovado pela Comissão Europeia e o Serviço de Acção Externa da UE. O seu objectivo é apoiar os países parceiros, especialmente os em desenvolvimento, alargamento e países vizinhos, para alcançar resultados tangíveis em matéria de igualdade de género, cerne dos valores europeus, bem como os novos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável a ser formalmente adoptados esta semana.
A Alta Representante e Vice-Presidente da UE Federica Mogherini assegurou que “com este novo enquadramento, a UE toma a dianteira do trabalho para a igualdade de género em todas as suas acções externas. Os direitos das mulheres são direitos humanos e os direitos humanos são direitos das mulheres. Queremos proporcionar aos nossos parceiros apoio efectivo de que precisam para combater a violência contra mulheres e meninas e ao mesmo tempo capacitá-los social e economicamente permitindo às mulheres a participação de forma activa na vida política, social e cultural dos seus países.”

O Comissário da UE para a Cooperação Internacional e Desenvolvimento, Neven Mimica, afirmou: "É minha firme convicção de que a nossa nova abordagem não trará apenas palavras, mas sim ações concretas e resultados. Será traduzido em melhorias reais na vida de mulheres e meninas em países terceiros - onde o progresso precisa ser acelerado, se e quiser transformar o nosso mundo e desbloquear um desenvolvimento efectivamente sustentável".
O novo quadro de acção terá como base as realizações e lições aprendidas provocadas pela implementação do Plano de Ação de Gênero no Desenvolvimento 2010-2015. Será mais focado em resultados tangíveis. Será financiado através de uma variedade de instrumentos de acção externa da UE (como o Instrumento de Cooperação e Desenvolvimento) e modalidades de ajuda (por exemplo, o apoio orçamental ou assistência a organizações da sociedade civil). Cerca de 100.000.000 de euros já foram alocados em medidas concretas orientadas para melhorar os direitos das mulheres e meninas.

Os Estados-Membros da UE vão discutir este novo quadro nas instâncias competentes do Conselho, incluindo o Conselho dos Negócios Estrangeiros dedicado ao Desenvolvimento em Outubro. O novo quadro deverá entrar em vigor a partir de 2016.
http://www.eeas.europa.eu/delegations/cape_verde/press_corner/all_news/news/2015/aaaaa_pt.htm

20 setembro 2015

Estoril Cascais celebra 19º aniversário, 10-Outubro

O Clube Estoril Cascais onnvida para o jantar  celebraão do seu
19º aniversário e passagem de mandado  
a 10-Outubro
na Messe de Cascais

Contacto: soroptimistestorilcascais@gmail.com


06 agosto 2015

Concurso da Embaixada Americana apoia o trabalho artesanal



O artesanato é segundo maior empregrador no mundo depois da agricultura 
A Embaixada Americana lançou um concurso para levar artesãs e o trabalho artesanal aos Estados Unidos 

Calling all Artisans and Artisan supporters around the globe. We want your artwork and digital media! Submit your media for a chance to win a trip to Washington, D.C., have your artwork featured in media and promotional materials, and even cash prizes! 

The competition is open to everyone, and we are looking for creative multimedia content that tells the story of the impact artisan enterprise has on the global economy and helping those escape poverty. More information and submission details can be found here 
Ver mais em http://goo.gl/fVoyCF

Kim Sawyer finalista para prémio de Diversidade na Europa


 Kim Sawyer is shortlisted for an important Diversity Award ... in Europe ! 


CONGRATULATIONS  Kim Sawyer ! 
We are right behind you ! 

 Kim Sawyer é finalista para o prémio DIVERSITY CHAMPION OF THE YEAR 


Será um prémio muito bem merecido  que dará mais visibilidade quer ao seu trabalho com Connect to Success e WPO  Women Presidents' Organization em prol das mulheres empreendedoras em Portugal, quer à importância do apoio à diversidade na Europa.  

VER http://soroptimistapt.blogspot.com/2014/06/a-soroptimistinternational-uniao-de.html

http://soroptimistapt.blogspot.com/2015/05/onde-mandam-as-mulheres-ainda-e-onde-os.html

02 agosto 2015

Natalidade e custos e benefícios de encolar meninos

O artigo em The Economist de 25-Julho-2015 sobre a "greve de bebés"  tem um gráfico elucidativo, para não dizer chocante, que coloca Portugal no fundo dos fundos, quer em termos de fertilidade, quer em termos de despesa pública de apoio às famílias.

As estatísticas da OCDE apontam para Portugal para o país com o maior problema de baixa natalidade, mas também como o país que menos faz para apoiar as famílias.

Nestes países de baixa fertilidade, ter filhos pode ser visto como um investimento privado com benefícios públicos, isto é,  com externalidades positivas que justificam alguma compensação para alinhar as escolhas individuais das famílias com os interesses colectivos da sociedade.

O artigo, que merece ser traduzido e estudado, apresenta vários estudos sobre o problema demográfico de baixa fertilidade, inferior à taxa de natalidade sustentável de 2.1 crianças por mulher, e as eventuais soluções, tais como:
- subsidio por bebé
- abono de família
- benefícios, deduções ou créditos fiscais no IRS dos pais
- subsídios para cuidados infantis de qualidade  em infantários, creches e amas 
aposentação antecipada para avós cuidadores 
- licenças de maternidade e paternidade pagas e mais longas
- cidades amigas-de-crianças (baby-friendly cities)...

Segundo o artigo, a medida que funciona melhor são os infantários subsidiados que permitem às mães melhor combinar o trabalho com a  família.  Isto faz todo o sentido.
Resultado de imagem para imagem bebé ao colo
Tradicionalmente, as mães sempre dependeram de "cuidadores gratuitos", sob a forma de avós, madrinhas e tias, como numa aldeia.  Isto não dispensando o envolvimento do próprio pai.
Esta era uma forma da família apoiar o investimento individual dos jovens pais na criação da próxima geração da família.  E antes de haver "baby-sitters",  havia facilidade em arranjar  "criadas de encolar meninos".  Com famílias mais pequenas, e dispersas, em ambiente urbano, os pais precisam de outras formas de apoio à primeira infância nos anos pré-escolares mais críticos.

Comparar as consequências para o equilíbrio trabalho-família de medidas alternativas tais como os  "infantários subsidiados" e a "licença de parto mais longa"  é elucidativo:

Nos países mais pobres, com baixos salários e desemprego elevado, as mães precisam trabalhar mais, não menos, para contribuir para as finanças da família. Mas quando as mães trabalham, quem toma conta das crianças?
- A licença de maternidade alongada aumenta o custo e a complexidade da contratação de jovem mulheres como empregadas.  Mais tempo em casa também eleva o custo de oportunidade para as próprias mães,  que acabam por acumular menos experiência de trabalho  no início de sua vida profissional.
- Já os cuidados infantis subsidiados, pelo contrário, ajudam as mulheres a entrar e a permanecer no mercado de trabalho, confiantes que os seus filhos estão bem entregues,  e isso torna as mulheres mais empregáveis, não menos.

Demografia é destino, pois os ciclos demográficos são muito difíceis de inverter.  As medidas de apoio à família tem que ser bem desenhadas e aplicadas, com peso e medida. Os custos de resultados não intencionados podem ser desastrosos para uma sociedade.

Mariana Abrantes de Sousa 
PPP Lusofonia 

Ver mais no Público http://www.publico.pt/sociedade/noticia/problema-nao-se-resolve-com-incentivos-a-fecundidade-1703762

01 agosto 2015

Soroptimistas apoiam trabalho com crianças em Cabo Verde

O projecto de uma Soroptimista do Clube Estoril Cascais  em Cabo Verde criou a oportunidade de fazermos uma pequena "visita de estudo",   a fim de conhecer melhor o país e de dar o nosso contributo para o importante trabalho com crianças carenciadas.

Em primeiro lugar, conhecemos a Federação Caboverdiana de Andebol e o seu Projecto de Mini-Andebol, Desporto e Saúde,  que foi financiado pela IOM-Organização Internacional para as Migrações promovendo o retorno temporário de emigrantes na diaspora para transferir conhecimentos e criar capacidades nos países de origem.  Neste projecto,  a Assunção Fernandes Tavares replica o programa de andebol que desenvolveu em Linda-a-Velha e Carnaxide e que o Clube Estoril Cascais tem vindo a apoiar desde 2009, com a nossa parceira Associação de Solidariedade Social Assomada.  

Cabo Verde tem uma diaspora de cerca de 500.000, quase tão grande como a população do país, e o arquipélago faz parte da história mundial, e da Lusofonia em particular,  como entreposto e ponto de encontro de culturas desde o século XV.

Enquanto os responsáveis do Projecto de Mini-andebol se preparavam para receber cerca de 200  crianças de várias ilhas num Festival de mini-andebol na cidade da Assomada (a original!),  aproveitamos para assistir a alguns dos treinos e para entregar uma (pequena) remessa de calçado, roupa e material escolar recolhido  entre as soroptimistas e amigas em Portugal.  As necessidades são muitas e sabemos que os nossos contributos serão muito bem encaminhados.

Também assistimos aos treinos da Selecção Caboverdiana de Andebol Sub-21, cujos remates faziam tremer o pavilhão!  Nós, e as crianças, ficámos devidamente impressionados.

Boa sorte aos atletas de todas a idades e cumprimentos a José Eduardo dos Santos, presidente da Federação Caboverdiana de Andebol.  Foi um prazer e uma honra poder assistir e colaboar nesta iniciativa.

Depois fizemos diversos contactos para apresentar as Soroptimistas e conhecer o trabalho de várias associações femininas caboverdianas que hão-de vir a dar frutos no futuro.

Havemos de voltar !

VER mais em https://www.facebook.com/pages/Federa%C3%A7%C3%A3o-Caboverdiana-de-Andebol/109605295777487

Entrega de equipamento http://www.oceanpress.info/cms/Pt/desporto/item/28147-associacao-internacional-entrega-equipamentos-de-mini-andebol-a-federacao

Federação de Andebol recebe donativo de Soroptimistas http://www.abola.pt/africa/ver.aspx?id=562421

O anúncio do Festival de mini-andebol recolha fotos nossas http://www.avoz.cv/desporto/festival-nacional-mini-andebol-realizado-assomada/ 

Um artigo que menciona as Soroptimistas http://www.criolosports.com/index.php?option=com_content&view=article&id=7265:andebol-sal-lha-do-sal-recebe-projecto-formativo-de-mini-andebol-&catid=24:andebol&Itemid=79

Iniciou o Festival de Mini-Andebol http://www.oceanpress.info/cms/Pt/desporto/item/28396-ja-iniciou-o-festival-de-mini-andebol

Ver o video ! https://www.youtube.com/watch?v=GRJgeO9gN2U

Andebol e Saúde é um projecto que visa formar monitores e implementar escolas de andebol em Cabo Verde, quer ligadas a Clubes quer introduzindo a prática regular do mini-andebol no EBI, de acordo com o programa Andebol na Escola.
 Este projecto que tem igualmente uma vertente ligada à saúde, dando aos formandos e praticantes, conhecimentos básicos da importância de uma boa alimentação para a prática do desporto, bem como os cuidados a ter na prevenção de lesões, está a ser implementado na ilha do Sal desde o dia 22 de Junho, abrangendo nesta fase inicial, 80 crianças das localidades de Palmeira, Santa Maria, Espargos e Pedra de Lume.
Este projecto é dirigido pela Mestre em Serviço Social e especialista de Andebol, Assunção Fernandes, que no quadro do programa, Regresso Temporário de Nacionais Qualificados do Ministério das Comunidades, encontra-se em Cabo Verde, a serviço da FCA por um período de quatro meses.
Além das entidades que sustentam o programa, o MC e a OIM, o projecto da FCA tem sido alargado a várias ilhas e concelhos, graças aos apoios que a Federação e a própria técnica têm mobilizado, nomeadamente a Câmara Municipal de Oeiras, o Sporting Clube de Portugal (Dpto Andebol) e o Clube Soroptmist Estoril Cascais, em Portugal, bem como em Cabo Verde, o Ministério da Educação e Desporto/ DGD, a Câmaras Municipais de São Domingos, Santa Catarina, Sal, Maio e Boavista, e empresas privadas como a ASA e o Hotel Crioula que asseguram a deslocação e estadia da técnica na ilha do Sal.
De realçar que a missão formativa na Ilha do Sal encerra com um Festival Regional de Mini-Andebol, que será o terceiro deste programa, a realizar-se no próximo dia 27 de Junho, a partir das 8 horas, no Polivalente de Cascais.
Fonte: FCA